Irã pede eliminação das restrições bancárias à União Europeia

Teerã, 25 nov (EFE).- O ministro iraniano de Relações Exteriores, Mohamad Yavad Zarif, pediu neste sábado a uma delegação da Eurocâmara a eliminação das restrições bancárias e a completa implementação do acordo nuclear.

Zarif insistiu na reunião com a delegação do Parlamento Europeu (PE) para as Relações com o Irã, liderada por Janusz Lewandowski, na necessidade de o país "obter todos os benefícios do JCPOA".

O pacto nuclear, formalmente conhecido como Plano Integral de Ação Conjunta (JCPOA), foi assinado em julho de 2015 entre o Irã e seis grandes potências para limitar o programa atômico de Teerã em troca da suspensão das sanções internacionais.

As relações bancárias não foram restabelecidas, no entanto, devido ao temor dos principais bancos europeus às sanções unilaterais dos Estados Unidos.

Zarif e Lewandowski falaram sobre as vias para "expandir e aprofundar" a cooperação entre a República Islâmica e a União Europeia (UE), segundo o comunicado.

O parlamentar europeu ressaltou "o apoio total" da Europa ao JCPOA e a necessidade da sua completa aplicação por parte de todos os países signatários, entre os quais encontra-se os Estados Unidos.

Também se referiu a este assunto em reunião com o presidente do Grupo de Relações Parlamentares IRÃ-PE, Kazem Jalali, na qual indicou que o cumprimento de Teerã do acordo nuclear, certificado pela Organização Internacional de Energia Atômica (OIEA), é "uma boa razão para a retirada das sanções".

Por sua vez, Jalali disse que o JCPOA é um pacto multilateral, e não entre o Irã e os EUA, por isso que seu país nunca aceitará a modificação do mesmo, segundo a agência oficial IRNA.

Esta visita dos parlamentares europeus ocorre em um momento delicado para o acordo nuclear devido às ameaças dos EUA de abandoná-lo se não for modificado, uma opção rejeitada tanto pelo Irã como pela UE.

"O imprevisível EUA aumenta a responsabilidade da UE de conter as armas nucleares na região", disse hoje Lewandowski na sua conta do Twitter.

A delegação do PE permanecerá no Irã até o dia 28 para participar da sexta reunião interparlamentar entre a UE e a República Islâmica, segundo indicaram à Agência Efe fontes da Eurocâmara.

Outros encontros programados são com o presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, e o secretário do Conselho Superior de Direitos Humanos da judicatura, Mohamad Yavad Larijani, assim como com representantes de minorias religiosas e ONG.

Durante sua estadia no Irã, os parlamentares também visitarão a cidade central de Isfahán.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos