Em Mianmar, papa agradece compromisso de católicos com pobres e deslocados

Yangun (Mianmar), 29 nov (EFE). - O papa Francisco se reuniu nesta quarta-feira com os bispos de Mianmar, na cidade de Yangun, e agradeceu à comunidade católica o compromisso com os mais pobres e deslocados que existem no país.

O terceiro dia de viagem começou com a missa no Parque Kyaikkasan para 150 mil pessoas, conforme cálculos oficiais, que vieram de várias partes do país, além de Tailândia e Filipinas. De acordo com o Vaticano, a Igreja Católica em Mianmar conta com, aproximadamente, 700 mil fiéis.

À tarde, o papa se encontrou com 22 bispos na Catedral de Santa Maria e propôs a eles três palavras para inspirar a Igreja birmanesa: cura, acompanhamento e profecia.

"Em Mianmar, esta mensagem tem uma ressonância especial, pois o país está empenhado em superar divisões profundamente radicadas e construir a unidade nacional. A comunidade católica do país pode ter orgulho do seu testemunho profético de amor a Deus e ao próximo, que se traduz no compromisso a favor dos pobres, daqueles que estão privados de direitos e, sobretudo nestes tempos, a favor dos inúmeros desalojados que, por assim dizer, jazem feridos na beira da estrada, sem olhar religião nem etnia", acrescentou.

Francisco não citou a palavra rohingya, como foi aconselhado pela Igreja de Mianmar, mas ao falar de deslocados tentou incluir às várias etnias discriminadas no país e também essa minoria muçulmana brutalmente perseguida pelas autoridades birmanesas.

Para a segunda palavra de síntese dos seus pensamentos, "acompanhamento", ele convidou os bispos a participarem de " visitas pastorais regulares às paróquias e comunidades que formam as suas Igrejas locais" e a incentivar o trabalho missionário. O papa também pediu um envolvimento especial no acompanhamento dos jovens e lembrou que o próximo Sínodo dos Bispos vai tratar disso.

Sobre "profecia", o pontífice pediu para que a "comunidade católica continue a ter papel construtivo na vida da sociedade, fazendo ouvir a sua voz nas questões de interesse nacional, principalmente insistindo no respeito pela dignidade e os direitos de todos, particularmente dos mais pobres e vulneráveis", disse ele. EFE

ccg/cdr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos