PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Aliança pós-soviética OTSC pede aumento da cooperação antiterrorista

30/11/2017 16h33

Moscou, 30 nov (EFE).- Os países da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), uma aliança militar pós-soviética liderada pela Rússia, pediram nesta quinta-feira o aumento da cooperação entre os Estados para conter a entrada de terroristas.

"Observamos casos de envio de terroristas estrangeiros aos países de origem ou a países terceiros para organizar atos de sabotagem e terrorismo, em alguns casos camuflados como refugiados", afirmou a declaração final da cúpula realizada hoje em Minsk.

"Isso dita a necessidade de aumentar a cooperação interestatal a fim de detectar e deter esses terroristas estrangeiros quando cruzam as fronteiras, assim como para melhorar a luta contra o crime organizado internacional", acrescentou o texto, segundo divulgaram as agências russas.

Compareceram à cúpula os presidentes de Rússia, Vladimir Putin; Belarus, Alexander Lukashenko; Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, e dos outros três países do bloco regional: Armênia, Quirguistão e Tajiquistão.

A organização foi criada em 2002 e tem como principais objetivos a cooperação política e militar, a luta contra o terrorismo, o extremismo, o tráfico ilícito de drogas e de armas e outras ameaças regionais e globais.

A OTSC também pediu um fim para o conflito na Síria "por meios políticos e diplomáticos, mediante o diálogo nacional sem condições prévias nem interferência externa", diz o comunicado.

"Os líderes dos países-membros da OTSC reafirmam seu apoio à soberania, à unidade e à integridade territorial da Síria", acrescenta a nota.

Internacional