CDU de Merkel expressa disposição a "negociar" coalizão com SPD

Berlim, 1 dez (EFE).- A União Democrata-Cristã (CDU) da chanceler alemã, Angela Merkel, expressou nesta sexta-feira sua disposição a "negociar a sério" a reedição de uma grande coalizão de Governo e deixou a decisão para o Partido Social-Democrata (SPD).

"O CDU está disposto a entabular essa negociação" e, se o SPD concordar, fará "sem condições prévias", disse o secretário-executivo do partido de Merkel, Klaus Schüler, após a reunião de ontem entre a chanceler e o líder social-democrata, Martin Schulz, a convite do presidente do país, Frank Walter Steinmeier.

Depois da declaração desse representante da CDU, Schulz fez um comparecimento no qual, visivelmente zangado, negou que houvesse um pré-acordo da sua parte para uma nova grande coalizão com o bloco conservador, tal como havia afirmado o popular jornal "Bild".

"As informações sobre um suposto acordo são simplesmente falsas", afirmou Schulz, que apontou para as fileiras da CDU de Merkel como suposta fonte, sem fazer mais considerações.

O secretário-executivo da CDU de Merkel insistiu que a decisão corresponde agora ao SPD e falou tanto das consultas previstas na cúpula social-democrata como no Congresso do partido, que começará na quinta-feira da próxima semana.

Schulz deverá ser submetido à reeleição como chefe do partido, junto com o resto da cúpula, e está prevista uma reunião com grandes debates sobre uma eventual grande coalizão.

Desde a juventude social-democrata foi lançada uma iniciativa contra uma reedição dessa fórmula de governo, que é classificada de "afronta" aos eleitores, já que durante toda sua campanha Schulz negou categoricamente a possibilidade de entrar de novo em um governo com Merkel.

A chanceler, Schulz e o líder de União Social-Cristã da Baviera (CSU), Horst Seehofer, realizaram ontem o primeiro encontro, dez semanas depois das eleições gerais, a convite do presidente Steinmeier com o objetivo de buscar vias para conseguir um governo estável para evitar a realização de novas eleições.

A reunião foi encerrada após cerca de duas horas, sem declarações por parte de nenhum dos participantes, de acordo com o previsto, já que os três líderes devem abordar os conteúdos com as cúpula de seus respectivos partidos.

Steinmeier havia chamado os líderes para o diálogo, depois do fracasso das negociações para formar um governo entre o bloco conservador de Merkel - integrado pela sua União Democrata-Cristã (CDU) e a CSU bávara -, com os verdes e os liberais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos