Rússia pode proibir entrada de todos os meios de comunicação dos EUA na Duma

Moscou, 1 dez (EFE).- A Rússia pode proibir a entrada na Duma do Estado (câmara baixa do parlamento) dos jornalistas de todos os meios de comunicação americanos credenciados no país, anunciou nesta sexta-feira a presidente do Comitê Parlamentar sobre o Regulamento, Olga Sevastianova.

A medida seria a resposta da Rússia ao Congresso dos Estados Unidos, que nesta quarta-feira privou os correspondentes da rede de televisão russa "RT" (antiga "Russia Today") de suas credenciais de imprensa para ter acesso à Casa.

"Propomos incluir todos os jornalistas que trabalham em meios de comunicação dos EUA", afirmou Sevastianova.

No total, 21 veículos meios de comunicação dos EUA estão credenciados no Ministério de Relações Exteriores da Rússia, de acordo com lista publicada no site do departamento.

Entre eles se encontram as agências "Bloomberg" e "Associated Press", os jornais "The New York Times" e "Washington Post" e a "revista Newsweek", assim como as emissoras de televisão "CNN", "CBS" e "ABC".

De acordo com outro deputado, Mikhail Emelianov, vice-chefe da bancada parlamentar Rússia Justa, "por enquanto se esta falando de uma lista bastante ampla" de meios de comunicação americanos, entre os quais citou a agência "Bloomberg".

A Duma estudará a proposta legislativa na próxima quarta-feira e a medida "entrará em vigor a partir do momento da sua adoção", acrescentou a deputada aos jornalistas.

A possibilidade de vetar a entrada na Duma de todos os meios de comunicação dos EUA não é apoiada por todos os deputados, como é o caso do vice-presidente da câmara, Igor Lebedev, que a considerou um erro em declarações à agência "Sputnik".

"Não sei se esta é uma medida justa e necessária. O que conseguiremos com isso? Se tiramos as credenciais, por exemplo da "CNN", acredito que é um erro, porque é a única possibilidade que pelo menos as vozes russas do parlamento sejam escutadas nos EUA", argumentou.

O Kremlin antecipou ontem que a Rússia não deixará sem resposta "as ações hostis" dos EUA contra a emissora estatal russa "RT", que no último dia 13 de novembro foi obrigada a se registrar como agente estrangeiro nos Estados Unidos por exigência da Justiça desse país.

A "RT" e a "Sputnik" são consideradas em Washington como veículos da propaganda do Kremlin.

Em resposta, o parlamento russo aprovou uma emenda que permite incluir meios de comunicação na categoria de "agentes estrangeiros", que até agora só incluía as ONGs com financiamento do exterior.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos