Candidato à presidência do Egito, ex-premiê é deportado pelos Emirados Árabes

Cairo, 2 dez (EFE).- O ex-primeiro-ministro do Egito Ahmed Shafiq, que anunciou na última quarta-feira que será candidato nas eleições presidenciais do país em 2018, foi preso nos Emirados Árabes Unidos e deportado.

"O general Shafiq foi preso pelas autoridades dos Emirados Árabes Unidos na sua casa para ser deportado ao Egito", explicou a advogada do ex-premiê, Dina Adly, em mensagem no Facebook, na qual também afirmou que não teve contato com seu cliente depois da detenção.

Pelo Twitter, o deputado Mustafa Barki confirmou que Shafiq chegou ao Cairo em um avião particular que decolou dos Emirados Árabes Unidos, sem fornecer mais detalhes.

Shafiq, que morou nos Emirados Árabes Unidos nos últimos anos, anunciou que disputará as eleições presidenciais egípcias e denunciou que o governo do país onde está vivendo tinha impedido que ele viajasse ao Cairo para promover sua candidatura.

O veterano político, designado primeiro-ministro em 2011 pelo então presidente Hosni Mubarak, está afastado da vida política desde a derrota nas eleições presidenciais de 2012 contra Mohammed Mursi.

O Egito deve realizar eleições presidenciais entre abril e maio de 2018. O atual presidente do país, Abdul Fatah al Sisi, é o grande favorito à reeleição.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos