Começa apuração especial para definir novo presidente de Honduras

Tegucigalpa, 3 dez (EFE).- O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de Honduras começou neste domingo a apuração especial com mais de mil atas inconsistentes para conhecer o novo presidente eleito do país no pleito geral de 26 de novembro, cuja incerteza fez com que fosse declarado o estado de exceção no país centro-americano.

A apuração, que começou depois das 15h locais (19h em Brasília), acontece sem a participação de observadores da Aliança de Oposição contra a Ditadura, cujo candidato é Salvador Nasralla, e do governante Partido Nacional, que é liderado por Juan Orlando Hernández, devido à rejeição dos primeiros a comparecer, que alegam que houve "fraude" no processo eleitoral.

O presidente do TSE, o juiz David Matamoros, explicou que a apuração ocorrerá em 42 mesas que processarão de 90 a 100 atas por hora, das quais serão tiradas duas cópias, uma para a aliança opositora e outra para o Partido Nacional.

Matamoros acrescentou que as informações sobre o andamento da apuração serão divulgadas gradualmente.

A apuração conta com a participação de observadores nacionais que representam diversos setores do país, da União Europeia (UE) e da Organização de Estados Americanos (OEA).

A contagem começou enquanto milhares de ativistas da aliança opositora se manifestavam nas ruas de várias cidades do país de maneira simultânea contra a suposta "fraude" contra Nasralla, que, assim como Hernández, se autoproclamou presidente eleito no mesmo dia das eleições.

Nasralla se juntou à manifestação na capital Tegucigalpa quando faltavam poucos minutos para o início da apuração que definirá o novo presidente eleito de Honduras.

Nasralla reiterou nas últimas horas que são cerca de 5.200 as atas que devem ser revisadas, não as 1.024 que diz o TSE, e que o melhor seria convocar novas eleições para presidente.

Pela primeira vez na história política de Honduras, dois candidatos à presidência somam mais de um milhão de votos.

A última contagem registrada no site do TSE indicava que Hernández tinha 42,92% dos votos, enquanto Nasralla somava 41,42%, com 94,35% de urnas apuradas.

Hernández aparecia com 1.333.264 votos e Nasralla, que tenta chegar ao poder pela segunda vez, com 1.286.572.

Em Honduras não há segundo turno eleitoral e o ganhador é o candidato que obtiver a maior quantidade de votos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos