Met Opera investiga denúncia de abuso sexual contra maestro renomado

Nova York, 3 dez (EFE).- A Metropolitan Opera de Nova York (Met Opera) está investigando o maestro James Levine por causa de um boletim de ocorrência policial de 2016 no qual um homem alega ter sido molestado sexualmente pelo maestro há três décadas, quando era adolescente, informou neste domingo o jornal "The New York Times".

Funcionários da Met Opera disseram ao jornal que iniciaram a investigação depois que começaram a ser questionados pela imprensa sobre Levine. A Met Opera tinha conhecimento do boletim de ocorrência desde o ano passado, mas o maestro negou as acusações e a Met Opera não foi procurada pela polícia.

"Estamos profundamente transtornados pelos artigos que estão saindo hoje na imprensa sobre James Levine. Trabalhamos em uma investigação com fontes externas para determinar se as acusações de conduta sexual indevida durante a década de 1980 são verdadeiras, para tomarmos as ações apropriadas", declarou a Met Opera no Twitter.

Segundo o boletim de ocorrência policial, obtido pelo tabloide "New York Post", os supostos abusos sexuais de Levine ao homem procedente do estado de Illinois começaram quando este tinha 15 anos e o maestro, que tinha 41 na época, trabalhava no festival Ravinia, nos arredores de Chicago.

O homem, não identificado, procurou a polícia de Lake Forest (Illinois) em outubro de 2016 e detalhou que os abusos de Levine começaram em 1985, quando este o levou para casa de carro e começou a tocá-lo "de forma incrivelmente sensual".

A suposta vítima indicou que os abusos, que consistiam em observar o maestro se masturbar e ser tocado por ele de forma sexual, duraram até 1993. O homem também revelou que o maestro lhe deu US$ 50 mil em dinheiro ao longo desses anos.

Além disso, o homem destacou que os fatos quase "destruíram" sua família e o levaram ao suicídio, e que, até esse momento, não tinha se dado conta de que o maestro tinha "tentado seduzi-lo".

Levine, de 74 anos, começou a trabalhar como maestro da Met Opera em 1976 e se manteve nesse posto até 2016. Agora, como maestro-emérito, é considerado lendário no mundo da música clássica, e entre os prêmios que recebeu, conta com dez estatuetas do Grammy.

Segundo a polícia de Lake Forest, a suposta vítima fez contato com um ex-integrante da Met Opera que lhe sugeriu que procurasse as autoridades, e os investigadores questionaram o blogueiro musical Greg Sandow, que afirmou ter sido contatado por três homens que alegavam ter sofrido abusos de Levine, um deles o próprio denunciante.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos