Acordo de combate a minas antipessoais completa 20 anos com novos desafios

Genebra, 4 dez (EFE). - A Convenção sobre a Proibição de Uso, Armazenamento, Produção e Transferência de Minas Antipessoais e sobre a sua Destruição comemora nesta segunda-feira 20 anos de criação com a ambição de eliminar até 2025 estes artefatos explosivos no mundo e o desafio de conter a utilização destas armas por grupos armados.

Mais conhecido como Tratado de Ottawa, ele proíbe o uso, a produção, o armazenamento e a transferência de minas terrestres. A convenção garante também a destruição delas e estabelece assistência aos sobreviventes.

"Esta data simbólica é uma oportunidade para que a comunidade internacional analise os desafios que ainda existem na implantação da Convenção", disse o embaixador da Áustria na Organização das Nações Unidas (ONU) e presidente da Convenção, Thomas Hajnoczi.

Em comunicado, ele lembrou que 162 nações, 80% dos países do mundo, são parte do acordo, e que ao longo dos 20 anos, 51 milhões de minas antipessoais foram destruídas. O receio, no entanto, é que seis dos 35 países que ainda não se uniram à convenção poderiam possuir milhões de minas.

Segundo a Secretaria da Convenção, 29 Estados participantes têm centenas ou milhares de sobreviventes que precisam de atenção, incluindo países pobres, que enfrentam grandes dificuldades no cumprimento das responsabilidades com as vítimas.

Para comemorar a data, a Secretaria da Convenção, a Handicap International Switzerland e o Geneva International Centre for Humanitarian Demining (GICHD) inauguraram uma exposição de fotografias no monumento Cadeira Quebrada, em frente à ONU em Genebra.

"Entre 1996 e 1997, a terrível situação causada pelas mina terrestres ao redor do mundo originou uma campanha sem precedentes de organizações não-governamentais e internacionais e de um grupo de governos com ideias afins. Em apenas um ano, alcançaram a negociação, a adoção e a assinatura do tratado que proíbe esta arma atroz", destacou Hajnoczi.

Dentro de duas semanas, a Convenção realizará a 16ª reunião dos Estados integrantes na ONU em Viena. O encontro servirá para medir o progresso na implementação do tratado e para debater medidas para fazer frente aos desafios vigentes que dificultam a vigência de um mundo sem minas até 2025.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos