Após queda de Mugabe, 21 ministros tomam posse no Zimbabué

Harare, 4 dez (EFE).- Os 21 ministros que formam o governo do Zimbábue, o primeiro após a queda do presidente Robert Mugabe, tomaram posse de seus cargos nesta segunda-feira em cerimônia na sede da presidência conduzida pelo presidente provisório do país, Emmerson Mnangagwa.

Sobre a Bíblia, os 21 membros da equipe de governo prometeram lealdade ao Zimbábue e respeitar as leis. Junto a eles também juraram seus cargos dois vice-ministros, 10 ministros provinciais e um novo procurador-chefe.

O governo de Mnangagwa está formado por membros da governista União Nacional Africana de Zimbábue-Frente Patriótica (ZANU-PF) e das forças armadas que desempenharam um papel decisivo na hora de forçar a recente saída de Mugabe, após 37 anos no poder.

Entre os selecionados está o comandante das forças aéreas, Perence Shiri, novo ministro de Agricultura, enquanto o general Sibusiso Moyo, - que anunciou aos zimbabuanos, em discurso televisionado na noite de 15 de novembro, que os militares tinham tomado o controle do país - será o novo ministro de Relações Exteriores.

Mnangagwa foi criticado por, apesar das expectativas despertadas, não tornar seu primeiro gabinete mais diverso incluindo membros da oposição ou tecnocratas.

Apesar de ter mudado duas das suas designações no sábado passado, apenas dois dias depois de ter anunciado sua equipe, o descontentamento com relação à escolha final se mantém.

Além disso, os críticos ressaltam a falta de igualdade de gênero: apenas quatro dos 21 ministros são mulheres, apesar de estas serem maioria na população do Zimbábue.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos