Chefe negociador do governo colombiano com o ELN pede para deixar cargo

Bogotá, 4 dez (EFE).- O ex-ministro Juan Camilo Restrepo disse nesta segunda-feira que pediu ao presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, para ser substituído como chefe da equipe negociadora do governo nos diálogos de paz com a guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN).

Em entrevista à rádio "Caracol", Restrepo explicou que solicitou ao chefe de Estado que o "libere destas responsabilidades como chefe da equipe negociadora" por razões de caráter profissional e pessoal.

"Considero que, no pessoal, meu ciclo à frente da equipe negociadora com o ELN está se encerrando", acrescentou o ex-ministro, que explicou que a mudança deve ser feita "nos primeiros dias do ano que vem".

Ao comentar sua decisão, Restrepo indicou que faz parte de um tribunal de arbitragem radicado em Paris e que, junto a outros compromissos profissionais, precisa passar mais tempo em Bogotá a partir de março de 2018.

O chefe negociador disse que espera que seu sucessor, que será designado por Santos, esteja à frente do próximo ciclo de diálogos, cujo início está previsto para 9 de janeiro de 2018 em Quito, sede das conversações.

Restrepo afirmou que o quarto ciclo de negociações, que começou em 23 de outubro e terminou na semana passada, obteve resultados positivos, sobretudo o acordo de cessação de fogo bilateral e de hostilidades, o primeiro pactuado com o ELN nos 52 anos de história desse grupo guerrilheiro.

O cessar-fogo começou em 1º de outubro e vai até 9 de janeiro, dia do início do próximo ciclo de negociações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos