Intelectuais húngaros propõem George Soros ao Prêmio Nobel da Paz

Budapeste, 4 dez (EFE).- Um grupo de cinco influentes intelectuais húngaros, entre eles um conhecido opositor do regime comunista, propôs como candidato ao prêmio Nobel da Paz o bilionário George Soros, considerado pelo governo nacionalista da Hungria como inimigo político número um.

Em carta divulgada nesta segunda-feira, os signatários lembram que Soros, americano de origem húngara, já apoiou nos anos 80 a oposição democrática que na Hungria, Polônia e Tchecoslováquia enfrentava as ditaduras comunistas.

Com esse apoio, acrescenta o texto, "Soros contribuiu para a criação da democracia e a derrocada do Pacto de Varsóvia", a organização militar dos países do bloco soviético.

Os intelectuais, professores da Escola Superior de Teologia Wesley János, lembram que Soros também é responsável por propostas muito desenvolvidas e profundas para resolver a atual crise migratória.

O primeiro-ministro húngaro, o nacionalista Viktor Orbán, iniciou uma campanha contra o magnata de origem húngara, com a qual pretende mobilizar seus simpatizantes visando as eleições legislativas de 2018.

Entre os signatários da candidatura de Soros ao Nobel está Gábor Iványi, um pastor metodista conhecido opositor do regime comunista nos anos 70 e que em 2012 denunciou que o governo de Orbán queria limitar o funcionamento das congregações religiosas minoritárias. EFE

mn/id

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos