Londres e Dublin acordam solução sobre fronteira pós "Brexit", diz imprensa

Dublin, 4 dez (EFE).- O Governo britânico e o irlandês chegaram a um princípio de acordo para manter a fronteira norte-irlandesa aberta após a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), segundo informou nesta segunda-feira a emissora pública "RTE".

Este meio indicou que teve acesso à minuta apresentada em Bruxelas pela primeira-ministra britânica, Theresa May, aos negociadores comunitários, na qual aceita que não haverá "divergências" entre as regras do mercado único e a união aduaneira que serão aplicadas em toda a ilha da Irlanda depois do "Brexit".

Esta é uma das demandas de Dublin para manter invisível a fronteira com a província britânica da Irlanda do Norte, chave para as economias das duas jurisdições e seu processo de paz, protegido pelo acordo da Sexta-feira Santa (1998).

Se May e seu colega irlandês, o democrata-cristão Leo Varadkar, aceitarem os termos deste acordo, as conversas mantidas entre Londres e Bruxelas sobre a separação poderiam passar à fase seguinte, quando preveem abordar a relação comercial após o "Brexit".

A primeira-ministra britânica está hoje na capital belga para apresentar suas propostas relacionadas com a questão da fronteira, a situação dos cidadãos e a conta que deve ser paga por seu Governo.

De acordo com a RTE, o citado texto contempla que a Irlanda do Norte se mantenha dentro dos espaços econômicos do mercado único e da união aduaneira, embora o resto do Reino Unido deva sair totalmente.

"Perante a ausência de soluções estipuladas, o Reino Unido assegura que não haverá divergência a respeito daquelas regras do mercado interno e da união aduaneira que, agora ou no futuro, sustentam a cooperação entre o Norte e o Sul e protegem o Acordo de Sexta-feira Santa", diz o documento divulgado pela emissora irlandesa.

Vardakar se reúne hoje com seu conselho de ministros para abordar estes assuntos e deve fazer uma declaração a respeito às 14h30 GMT (12h30, em Brasília), segundo fontes oficiais,

A proposta de solução para a fronteira poderia se chocar com a posição do pró-britânico Partido Democrático Unionista (DUP), majoritário entre a comunidade protestante norte-irlandesa e parceiro de Theresa May no Parlamento de Westminster, que não quer ver sua relação com o resto do Reino Unido danificada.

Os unionistas acreditam que esse distanciamento faria crescer o apetite dos políticos nacionalistas na Irlanda do Norte e na República da Irlanda pela reunificação da ilha.

Na sexta-feira, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, garantiu em Dublin que a UE apoia o Governo de Dublin e que qualquer proposta sobre a fronteira que não seja aceitável para a Irlanda também não será para o bloco comunitário.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos