Palestinos convocam "dia da ira" contra política dos EUA sobre Jerusalém

Gaza, 4 dez (EFE).- As facções palestinas na Faixa de Gaza, incluindo o movimento islamita Hamas e o nacionalista Al Fatah, convocaram nesta segunda-feira um "dia da ira" para quarta-feira perante a possibilidade de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declare Jerusalém como capital de Israel.

Em uma breve nota, os agrupamentos palestinos convocaram os residentes do enclave litorâneo para "passeatas e manifestações de raiva e ira contra o presidente Donald Trump e sua política para Jerusalém".

Neste final de semana, o presidente palestino, Mahmoud Abbas, falou por telefone com os líderes de Egito, Jordânia, Catar e França, depois que diversas informações apontaram que Trump cogita aceitar Jerusalém como capital de Israel, cuja parte oriental a comunidade internacional considera ocupada e que os palestinos reivindicam como capital do seu futuro Estado.

O presidente dos EUA estaria avaliando esta possibilidade por não ter efetivado sua promessa eleitoral de transferir a embaixada de Tel Aviv a Jerusalém, onde nenhum país tem sua sede diplomática porque a comunidade internacional não reconhece a soberania israelense na zona leste da cidade, ocupada desde 1967 e anexada em 1980.

Por enquanto, Trump não assinou o decreto de 1995 para efetivar a mudança e se acolhe à emenda pela qual o presidente pode prorrogar seu cumprimento por seis meses, algo ao que recorreram periodicamente seus antecessores Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos