Presidente de Honduras convida adversários em eleição a trabalhar pelo país

Tegucigalpa, 4 dez (EFE).- O presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, convidou nesta segunda-feira todos seus adversários nas recentes eleições a trabalhar para construir um novo país.

Hernández foi declarado vencedor do pleito após a conclusão nesta segunda-feira de uma apuração especial feita pelo Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) de 1.006 atas consideradas inconsistentes.

Com 99,89% dos votos processados, Hernández, que buscava a reeleição, venceu com 42,98% contra 41,39% de Salvador Nasralla, candidato da Aliança de Oposição contra a Ditadura, que já disse que não aceitará o resultado porque ele foi fruto de uma "fraude."

"Estendo minha mão para todas as pessoas com as quais concorri nesse processo, a todos os setores do país, para continuar construindo uma nova Honduras", ressaltou Hernández.

O presidente disse que os resultados das eleições anunciados pelo TSE após a apuração especial deixam uma grande lição para o país. E destacou que os demais candidatos têm o direito de apresentar ações para impugnar os resultados do pleito.

"Como democrata, defenderei qualquer espaço que esteja dentro da lei, dentro desse processo que diz a lei, para que nosso país possa virar a página das eleições", afirmou Hernández.

"Precisamos fazer uma reflexão profunda e atuar rapidamente. Estou convencidos que os hondurenhos são gente de paz, que enfrenta as adversidades, porque já fizemos isso no passado", ressaltou.

Nasralla pediu ao TSE a revisão de 5.179 atas inconsistentes por considerar que houve fraude no pleito realizado no dia 26 de novembro, um pedido que ganhou nesta segunda-feira o apoio da Missão de Observação Eleitoral da União Europeia.

O presidente destacou que a imprensa foi essencial ao transmitir ao vivo a apuração especial que começou no domingo.

"Esse processo ocorreu sem nenhum tipo de contratempo. Honduras e o mundo são testemunhas disso", disse.

Hernández pediu paz e união nacional, afirmando que seu compromisso de trabalhar pela tranquilidade em Honduras está mais mais em vigor do que nunca.

O presidente expressou "profundo pesar" pela violência ocorrida nos últimos dias em Honduras durante protestos de simpatizantes do partido de Nasralla contra a fraude na eleição. O candidato derrotado já antecipou que não aceitará os resultados do pleito

"Muitos de nossos irmãos se viram afetados por esses fatos violentos. Vamos analisar a situação de maneira rápida e profunda para ter um diagnóstico claro, determinar um processo de ação e de auxílio às vítimas o mais breve possível", explicou o presidente.

As manifestações da oposição continuam nesta segunda-feira. Desde o início dos protestos na quarta-feira, pelo menos 12 pessoas morreram, centenas ficaram feridas e mais de 500 foram detidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos