Síria pede que ONU adote medidas contra Israel após últimos ataques

Beirute, 5 dez (EFE).- O Governo sírio pediu nesta terça-feira à ONU que adote medidas "contundentes e imediatas" contra Israel pelos últimos ataques contra seu território, segundo a agência de notícias oficiais síria "Sana".

De acordo com a agência, o Ministério sírio de Relações Exteriores se expressou nesses termos em duas cartas enviadas à Secretaria-Geral e ao Conselho de Segurança da ONU.

Em tais cartas, as autoridades sírias exigiram que o Conselho de Segurança condene os "flagrantes" ataque de Israel, que, segundo sua opinião, deveria prestar contas por terrorismo e por apoiar grupos terroristas, o que pode piorar ainda mais a situação de insegurança na região e no mundo.

O Ministério lembrou que Israel atacou em duas ocasiões na última semana o território da Síria, a última ontem à noite às 23h30 local (19h30, em Brasília) na qual teve como alvo uma posição militar em Jamraja, perto de Damasco.

O anterior havia sido às 00h30 local (20h30, em Brasília) de sábado, quando as forças israelenses tiveram como alvo "uma posição militar das forças armadas sírias na área de Kisua", próxima a Damasco, disse o texto.

O Ministério ressaltou que estes bombardeios de Israel coincidiram com o disparo de projéteis por parte de "organizações terroristas" contra bairros de Damasco, que deixaram danos materiais.

Na opinião do Executivo sírio, esta coincidência é "uma prova da coordenação, participação e aliança que une o terrorismo israelense com a organização Estado Islâmico e a Frente al Nusra (antiga filial da Al Qaeda).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos