Temer e Morales criam grupo de trabalho para avançar em corredor ferroviário

Brasília, 5 dez (EFE).- O presidente Michel Temer e seu homólogo da Bolívia, Evo Morales, criaram nesta terça-feira um grupo de trabalho binacional que se encarregará de assentar as bases iniciais necessárias para o futuro Corredor Ferroviário Bioceânico Central.

A criação do Grupo de Trabalho Brasil-Bolívia para a Integração Ferroviária, assim como o estabelecimento de um plano de trabalho inicial, estão previstas no Memorando de Entendimento assinado hoje em Brasília durante uma visita oficial de Morales ao Brasil.

"Avançar neste trem está nas nossas mãos. Com isto ganhamos todos: cortamos tempos, cortamos distâncias, reduzimos custos, venderemos muito melhor nossos produtos. E essa é a verdadeira integração", afirmou Morales na cerimônia.

"A integração física é fundamental. A conexão ferroviária facilitará o transporte de produtos e gerará mais prosperidade para nossos povos", disse Temer.

O acordo propõe, além de criar condições que permitam o aumento do tráfego ferroviário entre os dois países, "estabelecer as bases para o pleno aproveitamento da infraestrutura ferroviária existente no projeto denominado Corredor Ferroviário Bioceânico para a Integração".

Tal projeto, considerado "de suma importância estratégica na região", prevê a futura construção de uma ferrovia entre os portos de Santos, no litoral Atlântico, e Ilo, no Pacífico, através do território boliviano.

O Corredor também aponta para a vinculação, em uma segunda fase, ao Paraguai e à Argentina e é um dos muitos projetos de integração auspiciado pela União de Nações Sul-Americanas (Unasul), organização cuja presidência anual será exercida pela Bolívia a partir de abril.

O Grupo de Trabalho previsto no memorando, que contará com participação ampla de representantes dos Governos, tem como objetivo "definir ações, coordenar iniciativas e compartilhar informações, com o propósito de assegurar eficiência, agilidade, segurança, previsibilidade e competitividade ao movimento da carga ferroviária entre os dois países".

O Plano de Trabalho previsto no mesmo memorando, por sua vez, compromete os dois países a "concentrar inicialmente esforços na identificação e a colocar em vigência as medidas necessárias para criar as condições que viabilizem o Corredor, especialmente na região de fronteira, nos municípios de Corumbá, Ladário, Puerto Quijarro e Puerto Suárez".

O Plano de Trabalho também compromete ambos países na "adequação das instalações existentes na fronteira Brasil-Bolívia à integração ferroviária entre os dois países e às necessidades futuras".

O memorando foi assinado pelo ministro brasileiro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa, e pelo titular de Obras Públicas, Serviços e Habitação da Bolívia, Milton Claros Hinojosa.

Segundo o memorando, o fortalecimento de uma conexão ferroviária entre os dois países "permitirá reduzir o impacto do Mediterrâneo sobre a economia boliviana, aumentar o comércio bilateral e as relações econômicas e aprofundar a integração dos Estados sul-americanos".

Quanto à origem dos recursos para os primeiro passos rumo ao Corredor, o memorando esclarece que as ações serão financiadas "segundo a disponibilidade orçamentária" de ambos países, mas que, "quando for necessário, as partes poderão fazer uso de outras alternativas de financiamento".

Os presidentes do Brasil e da Bolívia também assinaram um acordo de cooperação policial destinado a melhorar "a prevenção e a luta contra o crime organizado transnacional e qualquer outra manifestação delitiva".

Morales, o primeiro líder do chamado "eixo bolivariano" que visita o Brasil após a destituição de Dilma Rousseff, teve nesta terça-feira em Brasília uma reunião privada com o presidente do Brasil, à qual depois se somaram ministros de ambos Governos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos