Trump fala com Abbas sobre intenção de transferir embaixada para Jerusalém

Jerusalém, 5 dez (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, telefonou nesta terça-feira para seu homólogo palestino, Mahmoud Abbas, para falar sobre sua intenção de transferir a embaixada americana para Jerusalém, segundo informou o porta-voz presidencial palestino, Nabil Abu Rudeina.

Trump também deve falar hoje com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o rei jordaniano Abdullah II, segundo informaram fontes da Casa Branca.

Vários meios de comunicação americanos asseguraram nesta semana que Trump daria um discurso amanhã para reconhecer Jerusalém como capital de Israel, mas essa informação não foi confirmada pela Casa Branca.

O porta-voz disse que o presidente Abbas advertiu sobre os perigos que transferir a legação diplomática podem causar para o processo de paz, a segurança e a estabilidade da região e do mundo.

"O presidente reafirma nossa firme posição que não há nenhum Estado palestino sem Jerusalém Oriental como sua capital, de acordo com as resoluções de legitimidade internacional e com a iniciativa de paz árabe", destacou o porta-voz.

A advertência se soma aos alertas realizados nos últimos dias sobre essa possibilidade, como a que fez hoje o assessor presidencial Nabil Shaath, de que traria "uma violência horrível", ou a decisão palestina de pedir uma cúpula de urgência da Liga Árabe se isto acontecesse.

"O presidente (Abbas) continuará seus contatos com líderes mundiais para evitar essa ação inaceitável", acrescentou Abu Rudeina.

No último final de semana, Abbas falou por telefone com os líderes de Egito, Jordânia, Catar e França depois que fontes em Washington anunciaram que Trump cogita reconhecer Jerusalém como capital de Israel, o que romperia o consenso internacional e a posição histórica dos EUA de manter o status quo na cidade até que israelenses e palestinos chegassem a um acordo de paz.

Jerusalém Oriental, que os palestinos reivindicam como capital do seu futuro Estado, está ocupada por Israel desde a Guerra dos Seis Dias, de 1967, e foi anexada em 1980 em uma decisão unilateral israelense que não foi reconhecida pela comunidade internacional.

Hoje nenhum país tem sua embaixada em Jerusalém e a transferência da sede diplomática americana seria entendida como o reconhecimento da soberania israelense sobre toda a cidade, incluindo a parte ocupada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos