China expressa preocupação com anúncio de Trump sobre embaixada em Israel

Pequim, 6 dez (EFE).- A China manifestou nesta quarta-feira sua preocupação perante um possível "agravamento" da situação no Oriente Médio causado pelo iminente anúncio por parte dos Estados Unidos da transferência da sua embaixada em Israel para Jerusalém.

"Estamos preocupados com um possível agravamento" da situação, afirmou em entrevista coletiva um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Geng Shuang.

"A situação de Jerusalém é muito complicada e delicada, e as partes implicadas deveriam levar em conta a paz da região", evitando causar "novas confrontações" e influenciar na resolução final sobre o Estado palestino, acrescentou o porta-voz chinês.

O presidente americano, Donald Trump, deve anunciar hoje seu reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel e ordenar que se transfira para lá a embaixada dos EUA, segundo antecipou a Casa Branca.

O porta-voz lembrou que a China "sempre" apoiou e promoveu o processo de paz no Oriente Médio e respaldou a "causa justa" do povo palestino e seu direito a ter um Estado independente baseado nas fronteiras de 1967 e com Jerusalém Oriental como capital.

Por isso, insistiu que todas as partes implicadas devem seguir as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e comprometer-se a buscar uma solução negociada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos