Jordânia diz que decisão de Trump viola a "legitimidade internacional"

Amã, 6 dez (EFE).- O governo da Jordânia criticou nesta quarta-feira a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel e considerou a medida como uma "violação à legitimidade internacional".

Em comunicado, o governo do país disse que o anúncio de Trump, que também ordenou a mudança da embaixada americana em Israel para a cidade, representa uma "vulneração do documento da ONU que estabelece que o status de Jerusalém deve ser decidido por meio de negociações".

O ministro de Assuntos de Imprensa jordaniano, Mohamed Momani, citado pela agência oficial de notícias do país, "Petra", declarou que "a Jordânia rejeita esta decisão, que só aumentará a tensão e perpetuará a ocupação".

"O reconhecimento por parte de qualquer Estado de Jerusalém como capital de Israel não afetará, de um ponto de vista legal, o status do Jerusalém Oriental como um território ocupado, conforme decidiram o Conselho de Segurança da ONU, a Assembleia Geral da ONU e a Corte Internacional de Justiça na decisão sobre o muro de separação", disse Momani.

Jordânia e Egito são os únicos países árabes que assinaram um tratado de paz com Israel e que mantêm relações diplomáticas com esse país.

Amã mantém um papel de custódio sobre os lugares santos muçulmanos em Jerusalém Oriental, território que estava sob soberania jordaniana quando Israel o ocupou na Guerra dos Seis Dias de 1967, e o governo israelense controla os acessos e visitas ao local, em virtude de um pacto ratificado nos Acordos de Paz entre ambos os países em 1994.

Após a decisão de Trump, os Estados Unidos se tornam o único país do mundo que reconhece como capital de Israel a cidade de Jerusalém, onde não há nenhuma outra embaixada porque, após a anexação israelense da parte oriental em 1980, a ONU pediu que a comunidade internacional retirasse as delegações da Cidade Santa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos