Kremlin está preocupado com consequências de decisão dos EUA sobre Jerusalém

Moscou, 6 dez (EFE).- O Kremlin considera "prematuro" falar das consequências da possível transferência da embaixada dos Estados Unidos em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, embora já demonstre preocupação com essa possibilidade.

"Não gostaríamos de falar de decisões que ainda não aconteceram", disse hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, perguntado pelos jornalistas sobre a possível transferência da legação diplomática dos EUA, que implicaria no reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel por parte da Casa Branca.

No entanto, Peskov acrescentou que o presidente russo, Vladimir Putin, "teve ontem várias conversas telefônicas" com líderes internacionais.

"A situação não é fácil, e na sua conversa com (o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud) Abbas expressou justamente sua preocupação com esta situação e com a possibilidade que se agrave".

O presidente dos EUA, Donald Trump, pretende anunciar hoje seu reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel e ordenar que se transfira para lá a embaixada americana.

Os Estados Unidos se transformariam assim no único país do mundo que reconhece Jerusalém como capital de Israel, onde nenhuma nação tem sua embaixada, uma vez que, após a anexação israelense da parte oriental da cidade em 1980, a ONU pediu à comunidade internacional que retirasse suas legações da Cidade Santa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos