Putin anuncia "completa derrota" do Estado Islâmico na Síria

Moscou, 6 dez (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou nesta quarta-feira a derrota do Estado Islâmico (EI) na Síria com a queda dos últimos focos de resistência jihadista de ambos lados do rio Eufrates.

"O ministro da Defesa (Serguei Choigu) me informou há duas horas que as operações nas margens leste e oeste do Eufrates concluíram com a completa derrota dos terroristas", disse Putin, segundo meios de comunicação russos.

"Podem haver alguns focos de resistências, mas os combates nesta fase e nesse território foram concluídos. Concluídos, insisto, com a nossa vitória e a derrota dos terroristas", afirmou.

Já o chefe do Estado Maior do Exército da Rússia, Valeri Gerasimov, afirmou que "todos os grupos armados do EI no território da Síria foram aniquilados e todo o território foi libertado".

O militar russo explicou que as tropas comandadas pelo general sírio Suhail Hassan destruíram as últimas posições controladas pelo EI na província de Deir ez Zor.

"Desta forma, o território sob controle do EI não existe", disse.

Guerasimov disse que todas as operações foram planejadas por instrutores russos, que estavam atuando em diferentes divisões do Exército da Síria.

"As ações coordenadas com as milícias curdas e as forças governamentais, com o apoio da aviação russa, garantiram a completa aniquilação do Estado Islâmico no leste da Síria", ressaltou.

Além disso, Gerasimov criticou o papel desempenhado pela coalizão militar liderada pelos Estados Unidos. Segundo ele, essa aliança chegou a permitir que o EI controlasse 70% do território da Síria.

"A situação era crítica. Mais um mês e meio, a Síria teria deixado de existir como estado", analisou.

Quanto sobre o futuro político da Síria, Putin afirmou que antes será preciso reforçar as zonas de distensão. O próximo passo seria redigir uma nova Constituição e convocar novas eleições.

"Esse é um trabalho muito árduo e longo. Mas para começar é preciso dar os primeiros passos: reforçar as zonas de segurança e fazer o possível para acabar com o derramamento de sangue no território sírio", destacou o presidente da Rússia.

Recentemente, Putin já tinha afirmado que a intervenção militar do país na Síria, que começou no fim de 2015, já estava chegando ao fim. Segundo ele, as tropas do regime de Bashar al Assad controlavam 98% do território sírio, o que sinalizava a proximidade da vitória.

Permanecerão na Síria as tropas e os aviões russos que estão na base marítima de Tartus e no aeroporto de Khmeimim.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos