Síria: futuro de Jerusalém "não é determinado por nenhum Estado"

Beirute, 6 dez (EFE).- A presidência da Síria disse nesta quarta-feira que o futuro de Jerusalém "não é determinado por nenhum Estado ou presidente, mas pela sua história, a vontade e a determinação da lealdade à causa palestina", após o governo dos Estados Unidos reconhecer a cidade como capital de Israel.

A Síria reagiu assim ao anúncio feito hoje pelo presidente americano, Donald Trump, que também decretou a transferência da embaixada de seu país em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

O escritório do presidente sírio, Bashar al Assad, afirmou em comunicado divulgado no serviço de mensagens Telegram que "a causa palestina permanecerá viva na consciência da nação árabe até o estabelecimento de um Estado palestino com Jerusalém como capital".

O texto acompanha uma foto de Jerusalém na qual pode ser vista a cúpula da mesquita de Al Aqsa, o terceiro lugar mais sagrado do islã, depois de Meca e Medina, com uma mensagem que diz "Jerusalém árabe... E permanecerá".

Após a decisão de Trump, Os EUA se tornaram o único país do mundo a reconhecer Jerusalém como capital de Israel. Nenhum outro tem embaixada na cidade desde que a ONU pediu à comunidade internacional, em 1980, para que retirasse suas legações diplomáticas da Cidade Santa após a anexação israelense da parte oriental.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos