Erdogan pede que mundo não se venda por dólares em votação sobre Jerusalém

Istambul, 21 dez (EFE).- O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu nesta quinta-feira ao mundo que não se deixe comprar pelos dólares do governo americano na votação que acontecerá hoje na Assembleia Geral das Nações Unidas sobre o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

"Chamam os Estados Unidos de berço da democracia... O berço da democracia tenta comprar com dólares a vontade do mundo", afirmou o líder turco em discurso em Ancara, transmitido ao vivo pela emissora "CNNTürk".

Erdogan respondeu assim à ameaça do presidente americano, Donald Trump, que cortará as ajudas aos países que apoiarem a resolução contra sua decisão de reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

"Todas estas nações (...) recebem centenas de milhões de dólares, bilhões de dólares e votam contra nós", afirmou Trump em uma reunião do seu gabinete, e acrescentou: "Bem, vamos observar esses votos. Deixem votar contra nós. Economizaremos muito. Não nos importa".

"Senhor Trump, o senhor não pode comprar a vontade da Turquia com seus dólares. Nossa decisão está clara. Faço um chamado a todo o mundo. Não vendam sua vontade de lutar pela democracia por poucos dólares", insistiu Erdogan.

O presidente americano reconheceu no último dia 6 de dezembro Jerusalém como a capital de Israel, rompendo o consenso internacional mantido durante décadas, de que o status final de Jerusalém deve ser estabelecido em um acordo de paz entre israelenses e palestinos.

Erdogan fez desta questão um assunto prioritário da diplomacia turca e na semana passada convocou em Istambul uma reunião da Organização pela Cooperação Islâmica (OCI), mas a cúpula não resultou em medidas concretas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos