Quase 80% da população do Iêmen precisa de ajuda humanitária urgente

Cairo, 21 dez (EFE).- Quase 80% da população do Iêmen, país que vive um conflito armado desde o final de 2014, precisa de ajuda humanitária de forma urgente, alerta um relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) divulgado nesta quinta-feira.

O relatório, apresentado no Cairo, destaca que o Iêmen sofre a pior crise de fome em toda a região do Oriente Médio e Norte da África, já que cerca de um quarto da população do país padece de insegurança alimentar grave e 36%, moderada.

O índice de desnutrição grave em crianças menores de cinco anos chegou a 11%, mas essa taxa supera 15% em pelo menos quatro províncias do país, e em outras sete regiões está entre 10% e 15%.

Os serviços de saúde têm se degradado, o que contribuiu para gerar uma epidemia de cólera este ano, que causou a morte de pelo menos 2.028 pessoas e perto de 580 mil possíveis contágios, além de dois surtos de dengue e sarna em 2016.

O fornecimento de água, extremadamente limitado, também se deteriorou com a guerra, o que alimentou a violência no país.

A FAO citou um relatório do Ministério de Interior que calcula que aconteçam 4.000 mortes violentas por ano devido a disputas por água e terra.

Além disso, o relatório da FAO alertou que perto de dois milhões de crianças não estão escolarizadas, perto de 27% do total no país. EFE

mp/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos