Topo

Número de presos políticos libertados na Venezuela chega a 44, segundo ONG

Ueslei Marcelino/Reuters
Líder da Comissão da Verdade da Venezuela, Delcy Rodríguez Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Em Caracas

25/12/2017 22h53

O diretor-executivo da ONG venezuelana Fórum Penal, Alfredo Romero, informou nesta segunda-feira (25) que já chegou a 44 o número de presos políticos libertados no país por recomendação da governista Comissão da Verdade feita no sábado (23).

"Esta é a lista de 44 presos políticos libertados (com restrições) desde 23 de dezembro até agora", publicou Romero em sua conta no Twitter, mensagem acompanhada da lista com os nomes.

No sábado, a presidente da Assembleia Nacional Constituinte, que também lidera a Comissão da Verdade, Delcy  Rodríguez, informou a decisão do órgão, recomendando à Justiça que os detidos pelos protestos de 2014 e 2017 recebessem medidas substitutivas de prisão.

Pouco depois, Delcy garantiu que vários passariam o Natal com as famílias, afirmação que começou a ser cumprida entre a noite de sábado e a madrugada de domingo.

Entre os beneficiados estão vários agraciados neste ano com o prêmio Sakharov, concedido pelo Parlamento Europeu aos que considera defensores dos direitos humanos.

A liberdade de todos os classificados pela oposição como presos políticos é uma das petições dos antichavistas nos diálogos realizados com o governo na República Dominicana para buscar uma solução à crise que a Venezuela vive há meses.

Além disso exigem mudanças no Conselho Eleitoral, do qual desconfiam, a restituição dos poderes do Parlamento - de maioria opositora - e a abertura de um canal humanitário para a entrada de alimentos e remédios.

O oficialismo pede a aceitação da Assembleia Constituinte, órgão plenipotenciário composto apenas por integrantes do governo e não reconhecido pela oposição e vários países.

As negociações entre governo e oposição serão retomadas nos dias 11 e 12 de janeiro na República Dominicana.