Chefe de gabinete admite imagem do governo da Argentina arranhada por reforma

Buenos Aires, 31 dez (EFE).- O chefe de gabinete do governo da Argentina, Marcos Peña, admitiu neste domingo que a reforma da Previdência, aprovada neste mês, pode ter colocado "em dúvida" a imagem da gestão do presidente Mauricio Macri entre a população.

"Poder ser que uma parte das pessoas não tenha entendido, que não tenha ficado de acordo, e que isso coloque em xeque a imagem sobre o Governo", disse o representante, sobre a modificação do regime de aposentadoria, em entrevista ao jornal "Tiempo Argentino".

Peña, contudo, destacou que a rejeição se trata de opinião "parcial" e "não estrutural", e que irá se "dissipar" com o passar do tempo.

O chefe de gabinete, em balanço do ano, lembrou que, pela primeira vez em longo período, a Argentina "cresce por dois anos consecutivos", em um avanço que "se sustenta" em investimentos altos, com relação aos anos anteriores.

De acordo com Peña, existem indicadores econômicos, como o déficit das contas públicas ou de inflação, que "estejam um pouquinho piores ou iguais" ao governo passado, mas que isso acontece devido a "normalização da economia".

Sobre a correção das metas de inflação, de 10% para 15% para o próximo ano, o chefe de gabinete garantiu que se tratou de "uma modificação parcial de tempos, não de estilos", e que o governo segue comprometido com a queda dos preços.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos