Topo

Adolescente palestina que provocou soldados de Irsrael é acusada de agressão

01/01/2018 13h18

Jerusalém, 1 jan (EFE).- Um tribunal militar acusou nesta segunda-feira a palestina Ahed Tamimi, de 16 anos, de agressão pelo incidente ocorrido há um mês, quando ela foi filmada ao lado da mãe e de uma prima dando tapas em soldados de Israel na região de Nabi Saleh, na Cisjordânia.

Ahed foi acusada de 12 crimes diferentes, entre eles agressão grave, dificultar o cumprimento dos deveres militares, incitação e lançamento de pedras.

Segundo o jornal "The Times of Israel", os incidentes não têm relação apenas com o último episódio da jovem palestina com os soldados israelenses na Cisjordânia. Ela teria se envolvido em outras cinco confusões similares.

A mãe da adolescente, Nariman, foi acusada de estar envolvida em dois dos ataques, o do vídeo e mais outro, além de incitação por ter divulgado ao vivo pelo Facebook as imagens da provocação contra os dois soldados que estavam em frente à casa da família.

O procurador-geral militar pediu que mãe e filha permaneçam presas até a conclusão dos processos contra elas.

Os Tamimi são uma conhecida família de ativistas de Nabi Saleh, onde há anos organizam manifestações contra a ocupação de Israel.

Durante um protesto organizado há um mês, cerca de 200 pessoas enfrentaram os soldados e lançaram pedras de dentro de uma casa dos Tamimi, com "consentimento da família", segundo um porta-voz militar.

Depois de as tropas expulsarem os manifestantes, alguns homens ficaram na porta da casa, o que provocou o incidente gravado em vídeo.

Nas imagens, Ahed, acompanhada de uma prima, grita, empurra e dá tapas em dois soldados, enquanto grita para que eles deixem o local. Os militares se afastam da jovem, sem reagir à agressão.