Alemanha pressiona Irã a respeitar direito de manifestação pacífica

Berlim, 1 jan (EFE).- O governo da Alemanha pressionou nesta segunda-feira o Irã a respeitar o direito à manifestação pacífica e expressou sua preocupação com o número de dez mortos registrado nos protestos contra as políticas econômicas do presidente iraniano, Hassan Rohani.

"Estou consternado pelo desenvolvimento dos eventos no Irã e as informações sobre as vítimas mortais", declarou em comunicado o ministro de Relações Exteriores alemão, o social-democrata Sigmar Gabriel.

Na nota Gabriel pede ao governo iraniano para que "respeite os direitos dos manifestantes a concentrar-se e fazer ouvir sua voz, livre e pacificamente", assim como para evitar qualquer repressão violenta para pôr fim aos confrontos dos últimos dias.

A cifra de vítimas nos protestos já chegou a 10 mortos, segundo dados oficiais iranianos, enquanto não foi contabilizado o total de feridos.

O presidente Rohani considera que tais manifestações foram estimuladas pelos "inimigos" da República Islâmica, em resposta ao "sucesso" representado pelo acordo alcançado em 2015 com as grandes potências mundiais em relação ao seu programa nuclear.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos