Topo

Inteligência afegã desmantela principal célula do Estado Islâmico em Cabul

03/01/2018 10h21

Cabul, 3 jan (EFE).- A principal agência dos serviços de inteligência afegãos, o Diretório Nacional de Segurança (NDS), anunciou nesta quarta-feira que desmantelou "a primeira grande" célula do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) em Cabul, formada por 13 membros de várias nacionalidades que planejavam ataques na capital.

"Uma ampla rede terrorista do EI, que tinha contatos locais e estrangeiros, foi detida pelo Diretório Nacional de Segurança", afirmou o organismo em um comunicado.

"A célula planeava fazer uma série de grandes ataques terroristas na cidade", segundo o NDS, que acrescentou que a rede tinha "um papel ativo" na transferência de terroristas suicidas a Cabul e na capacidade de facilitar recursos a esses insurgentes.

Um membro do NDS, que pediu anonimato, detalhou à Agência Efe que se trata do "primeiro grande grupo do EI a ser detido em Cabul pela agência desde a chegada da formação jihadista ao país".

O EI irrompeu em 2015 em diferentes pontos do Afeganistão, especialmente nas províncias do sul, e estabeleceu sua principal fortificação em Nangarhar, no leste, na fronteira com o Paquistão.

O exército afegão anunciou ontem a morte de pelo menos 86 membros do EI, entre eles vários comandantes, em duas operações no norte e no leste do país, que também deixaram 38 insurgentes feridos.

Embora as autoridades tenham afirmado em diversas ocasiões que reduziram sua presença a umas poucas zonas remotas, a formação jihadista reivindicou alguns dos atentados mais sangrentos no país.

O último deles aconteceu no domingo em Nangarhar, onde uma bomba colocada em uma motocicleta perto de onde acontecia o funeral de um político local deixou 18 mortos e 12 feridos.

Cabul também foi alvo em 2017 de graves atentados reivindicados pelo EI, incluindo o mais sangrento desde a queda do regime talibã com a invasão americana há 15 anos.

Trata-se do que em maio do ano passado deixou 150 mortos e mais de 300 feridos na entrada da área diplomática da capital afegã, onde explodiu um caminhão cheio de explosivos.