Israel assegura que inteligência iraniana está operando na Cisjordânia

Jerusalém, 3 jan (EFE).- O serviço de segurança interior de Israel, Shin Bet, anunciou nesta quarta-feira em comunicado que desmantelou uma operação de inteligência iraniana na Cisjordânia ocupada.

Segundo o Shin Bet, um agente da inteligência iraniana, que vivia na África do Sul, recrutou e financiou uma célula de palestinos com base na Cisjordânia que planejavam "ataques em Israel".

Este serviço de inteligência israelense, com a colaboração do exército e da polícia, deteve em novembro o integrante mais ativo da célula, Mohammed Maharme, um estudante de engenharia informática de 29 anos do governo cisjordaniano de Hebrón.

O Shin Bet acrescentou que Maharme tinha sido recrutado por um familiar em 2015, Bahar Maharme, residente na África do Sul durante os últimos anos.

As investigações do serviço de segurança israelense indicam que a inteligência iraniana teria estabelecido nesse país uma base para a localização e recrutamento de colaboradores em Israel e Cisjordânia.

O anúncio do Shin Bet sobre a célula de espionagem iraniano coincide com as declarações de políticos e membros das forças de segurança israelenses que acusam Teerã de apoiar milícias palestinas na Faixa de Gaza e na Cisjordânia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos