Topo

Deputado de partido curdo da Turquia é condenado a 16 anos de prisão

04/01/2018 09h59

Istambul, 4 jan (EFE).- Um tribunal turco condenou nesta quinta-feira Idris Baluken, deputado do esquerdista pró-curdo Partido Democrático dos Povos (HDP), a 16 anos e oito meses de prisão por delitos relacionados com terrorismo, informou o jornal "Hürriyet".

O deputado de Diyarbakir, província do sudeste de maioria curda, foi sentenciado por "propaganda terrorista", "ser membro de uma organização terrorista" e "prejudicar a unidade e integridade do Estado ".

Baluken foi acusado de ter relação com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), classificado como organização terrorista na Turquia, nos Estados Unidos e na União Europeia.

A porta-voz do HDP no Parlamento, Serpil Kemalbay, tachou a sentença de "política" e assegurou que "é um ponto sem volta" para o HDP.

"Este castigo é uma decisão totalmente política. É uma decisão para matar a lei. É um ponto sem volta para o Partido Democrático dos Povos", declarou Kemalbay à imprensa turca.

Baluken foi detido em 4 de novembro de 2016 junto a outros 11 deputados do HDP, entre eles os dois líderes do partido, Selahattin Demirtas e Figen Yüksekdag, acusados de colaborar com a guerrilha curda do PKK.

O deputado foi libertado em janeiro de 2017, mas voltou a ser detido um mês depois.

Há um mês começou o julgamento contra Demirtas, também líder do partido preso preventivamente desde 4 de novembro de 2016.

A Promotoria turca acusa Demirtas de "formar uma organização terrorista" e de ser "membro de uma organização terrorista", por isso pede no total 142 anos de prisão.

O Governo e a oposição nacionalista acusam o HDP de ser o braço político do PKK, mas esse partido e Demirtas pediram à guerrilha que abandonasse a violência e apostasse na via política.

O PKK iniciou uma luta armada em 1984 para pedir mais direitos para os cerca de 12 milhões de curdos que vivem na Turquia.