Governo dos EUA anuncia sanções contra outros 4 funcionários venezuelanos

Washington, 5 jan (EFE).- O Governo americano anunciou nesta sexta-feira sanções contra outros quatro funcionários venezuelanos que são acusados de envolvimento com "corrupção e opressão", neste caso dirigidas contra altos chefes militares em atividade ou aposentados.

Os sancionados são o ex-ministro chavista e governador do estado de Aragua, o general aposentado Rodolfo Clemente Marco Torres; o também general aposentado e ex-governador de Bolívar Francisco José Rangel Gómez; o general de divisão da Guarda Nacional Bolivariana Fabio Enrique Zavarse Pabon, e o tenente-geral do Exército e ministro de Fronteiras Gerardo José Izquierdo Torres.

O Departamento do Tesouro assegurou que a inclusão destas pessoas na lista negra do Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) ressalta que "a corrupção e a represália continuam florescendo sob o regime de Maduro, tanto por aqueles em postos governamentais atuais como por ex-funcionários que continuam se beneficiando de um sistema corrupto".

"O presidente (Nicolás) Maduro e seu círculo próximo continuam pondo seus próprios interesses acima dos do povo venezuelano", disse o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, no comunicado em que foram anunciadas estas novas sanções.

Segundo Mnichin, com estas ações o Governo dos Estados Unidos sublinha a intenção de "responsabilizar Maduro e outros envolvidos pela corrupção na Venezuela".

O secretário do Tesouro também fez um chamado à comunidade internacional para se unir aos EUA em seu apoio "ao povo venezuelano para isolar ainda mais este regime opressivo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos