ONU diz que 1/4 da população da RDC está deslocada ou refugiada

Genebra, 5 ene (EFE).- A violência armada e a deterioração da situação humanitária na República Centro-Africana elevou o número de refugiados e de deslocados internos ao nível mais alto registrado para esse país, já que eles são quase 1/4 dos 4,6 milhões que conformam a população, indicou nesta sexta-feira a ONU.

Os ataques e a violência armada no país fizeram com que o número de deslocados internos tenha aumentado 50% no ano passado, ao passar de 400 mil registrados em maio para 600 mil no final de 2017, indicou nesta sexta-feira na coletiva de imprensa da ONU em Genebra o porta-voz da Agência para os Refugiados (ACNUR), Babar Baloch.

No total, os deslocados e os refugiados somam uma quarta parte da população centro-africana, indicou, a cifra mais alta observada para essa nação.

Mais de 5 mil refugiados chegaram ao sul do Chade desde o final de dezembro fugindo dos combates entre grupos armados do Movimento Nacional para a Liberdade da República Centro-Africana (MNLC) e da Revolução e Justiça (RJ) na população de Paoua, apontou.

A localidade também conta com 20 mil pessoas deslocadas internamente.

A ACNUR registrou com o Governo do Chade cerca de 2.350 refugiados novos na população de Odoumian, situada a 15 quilômetros da fronteira da República Centro-Africana.

Muitos deles chegaram a cruzar a pé a fronteira para entrar no país.

Os funcionários locais afirmam que chegaram cerca de 5,6 mil refugiados desde 27 de dezembro, quando começou o combate mais recente.

Foram contados, além disso, mais de mil novos refugiados em acampamentos existentes perto da cidade de Goré.

Este recente fluxo de refugiados da República Centro-Africana ao Chade supera o número total registrado para 2017, quando cerca de 2 mil pessoas fugiram para esse país.

Muitos deles falam de abusos de direitos humanos por membros dos grupos armados nas populações próximas à fronteira entre a República Centro-Africana e o Chade, indicou Baloch.

A fronteira está oficialmente fechada, mas o Chade deixa entrar aos refugiados que buscam proteção internacional, recalcou.

O Chade acolhe mais de 75 mil refugiados da República Centro-Africana de um total de 538 mil que estão repartidos em todos os países vizinhos, explicou o porta-voz.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos