Tempestade que deixou 3 mortos na França causa transtornos na Europa

Redação Central, 5 jan (EFE).- Inundações, intensas nevascas, voos cancelados e fechamento de estradas são algumas das consequências provocadas pela passagem da tempestade Eleanor por vários países da Europa e que só na França deixou três mortos.

Além disso, Eleanor deixou pelo menos 26 feridos no mesmo país, quatro em estado grave, além de três pessoas desaparecidas.

Entre os desaparecidos está um bombeiro de 65 anos que tentava ajudar ontem uma família que se refugiou no teto de seu veículo que foi arrastado por uma corrente de água entre os departamentos de Isère e Saboia (leste).

Também estão desaparecidos um homem de 81 anos, que sumiu quando se aproximou para ver a cheia de um rio em Lucenay l'Evêque (centro) e outro de 69 anos em Rouvres-sur-Aube (nordeste).

Das três mortes, a primeira ocorreu na quarta-feira, quando um esquiador de 21 anos caiu em cima de um pinheiro na estação de Morillon, nos Alpes.

A segunda morte foi de uma idosa de mais de 90 anos que teve um ataque cardíaco quando viu sua casa ser inundada por uma avalanche de barro e de água em Crêts Belledonne, no departamento de Isère.

A terceira corresponde a um fazendeiro que subiu com seu trator para uma cabana em Bonneval-sur-Arc, também nos Alpes, e também foi arrastado ontem por uma avalanche de neve.

O risco de avalanches se mantém elevado hoje em todos os maciços dos Alpes.

Além disso, 17 departamentos estão em alerta meteorológico por risco de inundação, sobretudo no nordeste e nas regiões da Aquitânia e Normandia.

O sul da Alemanha segue em estado de alerta por inundações após vários dias de chuvas contínuas e o desgelo devido às inusuais temperaturas.

Um exemplo é a cidade de St. Blasien, na Floresta Negra, onde inundações e deslizamento de terra forçaram a evacuação de casas.

A situação também é crítica em Baviera, onde hoje é esperado que o nível do rio Mena siga subindo, o que obrigará a interromper o tráfego fluvial.

Os meteorologistas prevêem um aumento do nível do Danúbio para este fim-de-semana.

A tempestade causou na quarta-feira problemas no tráfego ferroviário, aéreo e por estradas na Alemanha, com rajadas de vento de mais de 120 quilômetros por hora.

Eleanor deixou na Suíça pelo menos 16 feridos, que foram afetados por inundações pelas fortes chuvas, deslizamentos de terra e nevascas que isolaram vários povoados nas regiões de Berna e Valais.

A tempestade, que deu passagem nas últimas horas a fortes nevascas e a precipitações de até 237 litros por metro quadrado em alguns pontos destacados do país, gerou prejuízos econômicos de pelo menos 42,5 milhões de euros, segundo a agência suíça "ATS".

No Valais e em Berna várias regiões estão isoladas e algumas comunidades tiveram que ser evacuadas pelo temor de avalanches.

Adelboden (Berna) também ficou isolada pelas intensas chuvas que inundaram a estrada cantonal e causaram deslizamentos de terra, o que coloca em perigo o Campeonato Mundial de esqui alpino que deve ser realizado neste fim-de-semana.

A cidade pediu a ajuda do Exército para que construa uma ponte de emergência sobre o trecho interrompido, porque de outra maneira o evento esportivo não poderá acontecer.

Várias estradas e lances ferroviários estão, além disso, interrompidos, sobretudo nos cantões de Berna, Schwyz, Uri e Vaud.

No cantão de Berna oito pessoas ficaram feridas na quarta-feira após o descarrilamento de um vagão de trem.

Além disso, a tempestade deixou milhares de suíços sem eletricidade.

O caos também atingiu os voos na quarta-feira, já que os aeroportos de Genebra e Zurique registraram atrasos e tiveram que cancelar algumas viagens.

As intensas nevascas deixaram municípios isolados na Itália, sobretudo no norte, enquanto os fortes ventos no sul provocaram o fechamento de algumas estradas pela queda de árvores.

A localidade montanhosa de Breuil-Cervinia (norte) ficou isolada pela neve abundante de mais um metro de altura nas últimas horas.

Cerca de 12 mil pessoas, entre turistas e residentes, permanecem presas nesta localidade e foi fechada a passagem de veículos não-autorizados em várias estradas na região do Vale d'Aosta, onde este município fica localizado.

O risco de avalanches é alto e para o fim-de-semana são esperadas chuvas nas regiões de Ligúria, Piemonte, Lombardia e Emilia-Romagna, além de neve para localidades acima dos 1,2 mil metros de altitude. EFE

int/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos