Topo

Duas jovens árabe-isralenses são acusadas de planejar ataque do EI em Israel

08/01/2018 13h32

Jerusalém, 8 jan (EFE).- Duas jovens árabe-israelenses foram acusadas de manter vínculos com o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e de planejar um atentado contra a população judaica de Israel, previsto para a noite de fim de ano, informaram nesta segunda-feira fontes de segurança israelenses.

A Shabak, serviço de Inteligência interior israelense, e o Exército detiveram em dezembro duas mulheres de origem beduína, identificadas como Rahma al Assad e Tasnin al Assad, ambas de 19 anos, sob as acusações de planejar um ataque terrorista e pertencer a uma organização ilegal, entre outros, informaram as fontes em um comunicado.

As duas jovens, oriundas da localidade de Lakiya, no deserto de Negev, mantiveram contato no ano passado com membros de EI, que as instruíram para realizar "missões preparatórias prévias ao ataque".

Durante o interrogatório, ambas confessaram ter visitado o campus da Universidade de Ben Gurion, na cidade de Beer-Sheva, como possível localização do ataque, e também manifestaram o desejo de viajar ao exterior para se somar ao EI, segundo informou, por sua vez, o jornal "Times of Israel".

Nos últimos anos, Israel deteve vários suspeitos de apoiar ou tentar se unir ao EI, em todos os casos árabe-israelenses (aqueles árabes que ficaram em Israel após a fundação do Estado em 1948 e seus descendentes), alguns dos quais cruzaram a fronteira norte com a Síria para se unir ao grupo jihadista.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber