Ministro britânico para Irlanda do Norte apresenta sua renúncia

(Atualiza com a carta de renúncia do ministro).

Londres, 8 jan (EFE).- O ministro britânico para a Irlanda do Norte, James Brokenshire, apresentou nesta segunda-feira sua renúncia, antes que a primeira-ministra, Theresa May, inicie uma reformulação do governo, confirmou hoje o departamento dessa província britânica.

Brokenshire, nomeado ministro para a Irlanda do Norte em julho de 2016, em substituição de Theresa Villiers, alegou razões de saúde para sua saída da pasta, segundo informam meios de comunicação locais.

Na reformulação de hoje, May espera manter seus principais ministros, entre eles o titular de Relações Exteriores, Boris Johnson; o de Economia, Philip Hammond, e o do "Brexit", David Davis.

Brokenshire, de 50 anos, apresentou a renúncia porque será submetido a uma operação de pulmão nas próximas semanas.

Na sua carta de demissão, o ministro declarou que espera voltar "relativamente cedo" ao trabalho após a operação e reconheceu que, devido ao seu estado, não teria a "energia" nem o poder de "concentração" necessários para manter as rédeas do seu departamento.

"Acho que o correto para mim neste momento é me afastar das minhas atuais responsabilidades", indicou.

Em resposta à carta, a primeira-ministra considerou "absolutamente correto" que desse prioridade à saúde e lhe disse que espera trabalhar com ele quando se recupere.

Deputado pela circunscrição inglesa de Old Bexley & Sidcup, Brokenshire é um aliado próximo da primeira-ministra, com a qual trabalhou durante cinco anos quando ela estava à frente do Ministério de Interior no governo de David Cameron.

Não era esperado que este ministro abandonasse seu cargo, mas a sua partida acontece justamente quando a autonomia norte-irlandesa permanece suspensa com a queda no ano passado do Executivo, de poder compartilhado entre protestantes e católicos, por conta de um escândalo financeiro descoberto na política de energias alternativas do governo.

Na reformulação de hoje, May espera nomear um novo presidente do Partido Conservador, em substituição de Patrick McLoughlin, após ter trabalhado na campanha eleitoral de junho do ano passado, quando a legenda perdeu a maioria absoluta.

Segundo a residência oficial de Downing Street, a primeira-ministra também fará mudanças entre os secretários de Estado, embora estas devam ser anunciadas somente amanhã.

May também tem que nomear o substituto de Damien Green, que renunciou em dezembro como primeiro-secretário de Estado (posto equivalente a um vice-primeiro-ministro) por um escândalo relacionado com a descoberta de pornografia no seu computador.

Green pediu demissão depois que uma investigação interna do governo concluiu que ele violou o código de conduta ministerial ao fazer declarações "inexatas e enganosas" sobre a descoberta de material pornográfico no seu computador do parlamento em 2008.

A reformulação de hoje acontece antes do começo da segunda rodada de negociações sobre o "Brexit", centrada na futura relação comercial e de segurança que o Reino Unido terá com a União Europeia (UE) após o país sair do bloco em 2019.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos