Putin reúne o máximo permitido em fundo de sua campanha eleitoral

Moscou, 8 jan (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, reuniu 400 milhões de rublos (US$ 7 milhões) no fundo de sua campanha eleitoral, o máximo permitido pela lei, informou nesta segunda-feira o Comitê Eleitoral Central (CEC) do país.

O fundo para a campanha de Putin, que tentará a reeleição no pleito presidencial de 18 de março, conta com doações do partido governista Rússia Unida e de várias organizações civis.

O partido dirigido pelo premiê russo, Dmitri Medvedev, apoia o atual chefe do Kremlin mesmo depois que ele decidiu concorrer ao processo eleitoral como candidato independente.

Segundo a CEC, Putin já gastou 14,5 milhões de rublos (US$ 250 mil) do fundo de sua campanha, dos quais 9 milhões (US$ 156 mil) foram destinados à impressão e divulgação de propaganda eleitoral.

A campanha eleitoral na Rússia começou oficialmente em 18 de dezembro.

Além de Putin, pretendem concorrer às eleições pelo menos outros 20 candidatos, entre eles o liberal Grigory Yavlinsky e o ultranacionalista Vladimir Zhirinovsky, mas nenhum deles possui possibilidades reais de chegar à presidência da Rússia.

Os candidatos ao Kremlin poderão apresentar a documentação necessária para concorrer às eleições entre 27 de dezembro e 31 de janeiro.

Quanto aos candidatos independentes, como é o caso do atual governante russo, estes, segundo a lei, devem ser propostos por uma iniciativa popular e apresentar à autoridade eleitoral um mínimo de 300 mil assinaturas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos