Chefe da polícia romena é destituído por casos de pedofilia na corporação

Bucareste, 9 jan (EFE).- O principal responsável pela polícia da Romênia, Bogdan Despescu, foi destituído nesta terça-feira pela suspeita de que essa corporação ocultou durante anos os abusos sexuais cometidos contra menores por um de seus agentes, que na sexta-feira passada foi surpreendido quando tentava agredir duas meninas.

A ministra do Interior romena, Carmen Dan, declarou ao anunciar a destituição que as autoridades não se convenceram com as explicações dadas pelo comando policial sobre as atividades do agente, que foi detido após uma tentativa de agressão contra duas meninas em um elevador em Bucareste.

"Como é que nenhum dos chefes da polícia sabia nada sobre estes desvios de conduta?", se perguntou Dan em uma coletiva de imprensa, na qual deixou aberta a possibilidade de que os delitos fossem escondidos por seus superiores.

Segundo o advogado do suspeito, a polícia reconheceu os incidentes da sexta-feira passada bem como o estupro de uma menina de sete anos em 2012, uma agressão que nunca foi punida apesar de existirem imagens gravadas por câmeras de segurança.

"Constatei até agora que nenhum dos chefes da polícia assumiu a responsabilidade pelo fato de o agente ter permanecido no cago apesar de todos os casos nos quais é suspeito", afirmou Dan.

Nesse sentido, a ministra citou outros dois casos de assédio sexual, em 2009 e 2015, que teriam sido cometidos por esse agente e também não foram esclarecidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos