Ex-chefe do Estado Maior da China será indiciado por receber subornos

Pequim, 9 jan (EFE).- Um tribunal militar enviou à procuradoria o caso do ex-chefe do Estado-Maior da China, Fang Fenghui, após ter sido acusado de ter recebido subornos, informou nesta terça-feira a agência de notícias estatal "Xinhua".

Fang (66 anos) se tornou assim o último alvo da investigação do Partido Comunista da China (PCCh) contra aqueles que violam seu código de conduta.

O envio do caso à procuradoria militar implica em que haverá uma acusação formal contra o general Fang, que em agosto do ano passado foi posto sob investigação por corrupção e retirado da Comissão Central Militar.

Em agosto do ano passado, Fang foi o encarregado de reunir-se com o general Joseph Dunford, chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, com quem decidiu reforçar os laços militares entre as duas nações frente às crescentes tensões na península da Coreia.

O ex-membro da Comissão Militar Central da China foi em sua época o comandante mais jovem de uma das regiões militares do Exército de Libertação Popular, e era descrito como um "oportunista" por membros das forças armadas, segundo publica a agência oficial Xinhua.

Em 2017 pelo menos 159.100 pessoas foram condenadas por participar em 122.100 casos de corrupção ou violação destas normas, dos quais 48.7000 estavam relacionados com fundos para reduzir a pobreza, informou a Comissão Central de Inspeção e Disciplina do Partido Comunista.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos