Funcionários dos EUA debatem ideia de possível ataque a Pyongyang, diz "WSJ"

Nova York, 9 jan (EFE).- Funcionários do governo dos Estados Unidos estão debatendo a possibilidade de realizar um ataque limitado na Coreia do Norte sem que o mesmo leve a uma guerra generalizada na Península Coreana, informou nesta terça-feira o jornal "The Wall Street Journal (WSJ)".

Em uma nota publicada hoje, o "WSJ" afirmou que essa possibilidade está sendo debatida de forma cautelosa na administração de Donald Trump.

O "WSJ" assegura que esse eventual ataque militar de alcance limitado faria o regime norte-coreano "sangrar pelo nariz" e seria lançado como uma resposta a qualquer teste nuclear ou de mísseis balísticos da Coreia do Norte.

A operação teria como objetivo mostrar ao regime de Kim Jong-un "o preço que ele poderia pagar por seu comportamento", segundo o "WSJ".

A nota chega no mesmo dia em que representantes das duas Coreias se sentaram em uma mesa de negociações, pela primeira vez em dois anos, para analisar a possível participação de atletas norte-coreanos nos Jogos Olímpicos de Inverno em PyeongChang.

Segundo o "WSJ", o debate sobre se esse ataque eventual é factível leva em consideração os perigos de que o mesmo possa resultar em uma reação armada completa por parte do regime da Coreia do Norte.

A informação indica que, mesmo assim, o governo Trump segue focado em buscar um amplo esforço diplomático para convencer a Coreia do Norte a encerrar seu programa nuclear e de mísseis balísticos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos