Premiê tcheco se submete a voto de confiança sem apoio parlamentar

Praga, 9 ene (EFE).- O primeiro-ministro da República Tcheca, o multimilionário Andrej Babis, se submeterá nesta quarta-feira ao voto de confiança do parlamento sem ter assegurado o apoio do mesmo, pois os outros partidos se recusam a respaldá-lo devido às suspeitas de corrupção que pesam sobre ele.

A sessão de amanhã acontece justamente após o prazo de 30 dias dado pelo presidente do país, Milos Zeman, desde que este designou o novo governo tcheco em minoria liderado por Babis, de 63 anos, após a vitória do partido do magnata nas eleições de outubro.

Contudo, a votação de amanhã ainda pode ser adiada se o plenário da Câmara decidir esperar que o comitê de imunidade se pronuncie sobre a solicitação da polícia de suspender a imunidade parlamentar de Babis para poder investigá-lo por uma suposta fraude envolvendo recursos da União Europeia (UE) em uma das suas empresas.

Babis e a sua Aliança de Cidadãos Descontentes (ANO, na sigla em tcheco) ganharam as eleições com 29% dos votos e 78 dos 200 deputados, mas não conseguiu firmar nenhum acordo de coalizão.

Os outros oito partidos com representação no parlamento viraram as costas para Babis, que só conseguiu convencer os comunistas a não votarem contra que ele para formar um governo em minoria.

A recusa dos outros partidos para formar uma coalizão com Babis se deve às suspeitas de fraude contra ele.

Por esse mesmo motivo, Babis foi destituído na última legislatura como vice-primeiro-ministro e titular da pasta de Finanças, e também perdeu a imunidade parlamentar, que foi recuperada depois que ele assumiu sua cadeira de deputado após o pleito de outubro.

Enquanto isso, o Escritório Antifraude da UE (Olaf, na sigla em inglês) pediu ao governo tcheco que devolva 1,7 milhão de euros de um programa de financiamento para pequenas e médias empresas do qual Babis se beneficiou, o primeiro chefe de governo de um país da UE que aparece envolvido em uma investigação desse órgão.

Segundo o jornal "Hospodarske Noviny", o Olaf detectou "irregularidades" e "fraude" na obtenção dessas ajudas comunitárias para pequenas e médias empresas e das quais uma das companhias controladas por Babis recebeu 2 milhões de euros.

Babis, o segundo homem mais rico da República Tcheca, é dono da Agrofert, um império agroindustrial e químico, e controla dois importantes jornais de tiragem nacional, três canais de televisão e duas emissoras de rádio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos