Argentina declara apoio às mais recentes sanções contra a Coreia do Norte

Buenos Aires, 10 jan (EFE).- A Argentina expressou apoio à declaração conjunta da chamada Iniciativa contra a Proliferação (PSI, na sigla em inglês), que defende as mais recentes sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU à Coreia do Norte.

O país pediu que "esforços redobrados" para exercer a "máxima pressão possível" para que a Coreia do Norte implemente as resoluções aprovadas pelo Conselho de Segurança.

Além disso, a Argentina pediu que o regime de Kim Jong-un encerre os "atos hostis na região", uma referência aos testes nucleares feitos pela Coreia do Norte, considerados pelo governo de Mauricio Macri como uma "nova ameaça à paz e à segurança internacional".

Os outros países que já assinaram a declaração conjunta da PSI são Alemanha, Austrália, Canadá, Cingapura, Coreia do Sul, Dinamarca, Estados Unidos, França, Grécia, Holanda, Itália, Japão, Nova Zelândia, Polônia e Reino Unido.

O Conselho de Segurança da ONU impôs as últimas sanções à Coreia do Norte em setembro e novembro do ano passado. O objetivo é intensificar ainda mais o isolamento do país, bloquear suas fontes de financiamento e forçar o governo de Kim Jong-un a sentar na mesa de negociação para discutir a desnuclearização da península.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos