Casa Branca exige que Irã liberte "presos políticos" e denuncia assassinatos

Washington, 10 jan (EFE).- A Casa Branca denunciou nesta quarta-feira que, de acordo com alguns relatórios, o governo iraniano prendeu "milhares" de pessoas por participação em protestos, torturou e matou algumas delas, e exigiu a "liberdade imediata de todos os presos políticos" do país.

"A Administração de Trump está profundamente preocupada com informações de que o regime iraniano prendeu milhares de cidadãos iranianos na última semana por participarem de protestos pacíficos. Outros informes de que o regime torturou ou matou alguns destes manifestantes enquanto estavam detidos são ainda mais preocupantes. Não seguiremos em silêncio enquanto a ditadura iraniana reprime os direitos básicos dos seus cidadãos e faremos com que os líderes do Irã prestem contas de qualquer violação", disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, em comunicado.

Na semana passada, a Casa Branca ameaçou impor sanções ao Irã pela sua resposta aos protestos, e o presidente americano, Donald Trump, afirmou que apoiaria o povo iraniano "no momento adequado".

"Os Estados Unidos pedem a libertação imediata de todos os presos políticos no Irã, incluindo as vítimas da onda de repressão mais recente", destacou ela.

A porta-voz assegurou que os manifestantes do Irã "estão expressando queixas legítimas, incluindo pedidos pelo fim da opressão e da corrupção do governo e esbanjamento dos recursos nacionais em uma aventura militar".

"O regime do Irã afirma apoiar a democracia, mas quando o seu próprio povo expressa as suas aspirações de uma vida melhor e pede o fim da injustiça ele mostra novamente a sua verdadeira natureza brutal", disse Sarah Huckabee Sanders.

Os protestos no Irã começaram como uma denúncia dos problemas econômicos do país, mas se transformaram em duras críticas contra toda a política e em distúrbios. Cerca de 20 pessoas morreram e mais de 1.000 foram detidas nos seis dias seguidos de manifestações, que acabaram há uma semana.

A maioria dos detidos já foi solta depois do pagando de fiança, exceto os principais líderes das manifestações, de acordo com o porta-voz da Polícia iraniana, Saeed Montazer al-Mahdi. Segundo ele, a Polícia diferenciou manifestantes pacíficos de pessoas que geraram distúrbios e destruíram bens públicos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos