Protestos por assassinato de menina no Paquistão terminam com 2 mortos

Islamabad, 10 jan (EFE).- Pelo menos duas pessoas morreram e três ficaram feridas nesta quarta-feira em protestos pelo estupro e assassinato de uma menina de 7 anos na cidade de Kasur, na região nordeste do Paquistão.

Zulfiqar Ahmed, porta-voz da Polícia de Kasur, indicou à Agência Efe que os dois manifestantes morreram em uma ação contra uma delegacia, durante o protesto pela suposta falta de eficiência das forças policiais nas investigações de assassinatos de crianças.

"A multidão ficou violenta e a Polícia tomou medidas de defesa", afirmou o porta-voz, acrescentando que os manifestantes destruíram veículos e prédios públicos.

Mohamed Usman, outro porta-voz policial, disse à Efe que devido à morte da menina muitas lojas não abriram hoje e vários protestos estão acontecendo na cidade com grupos de centenas de pessoas mantendo enfrentamentos contra a Polícia.

"Os manifestantes tentaram entrar no escritório central da Polícia, mas foram repelidos pelos agentes", indicou Usman.

A menina desapareceu na quinta-feira passada quando estava com o tio, pois os pais tinham ido à Arábia Saudita para uma peregrinação religiosa. Ontem, o corpo apareceu no lixo e, segundo o exame preliminares, a menina sofreu abusos sexuais antes de morrer.

As autoridades paquistanesas prometeram tomar medidas após a morte da menor e o início dos protestos.

"Profundamente triste com o assassinato de uma menina de 8 anos em um caso de abuso sexual infantil. As sociedades que não podem proteger seus filhos estão condenadas eternamente. Não vou descansar até que os autores deste ato covarde sejam presos e recebam o castigo mais severo possível de acordo com a lei", afirmou no Twitter Shehbaz Sharif, chefe de governo de Punjab, onde se fica Kasur.

Nos últimos anos, a cidade de Kasur viveu vários episódios e escândalos de abusos a menores.

"Existem seis ou sete casos parecidos nas delegacias em que crianças foram sequestradas, assassinadas e apareceram no lixo. Há um caso assim a cada um ou dois meses", indicou disse Usman.

Em agosto de 2015, explodiu nesta zona um escândalo de pedofilia em que 19 menores foram fotografados e filmados por uma rede formada por 17 pessoas no povoado de Ganda Singh Wala, em Kasur. Em abril de 2016, a Justiça condenou à prisão perpetua dois dos envolvidos.

Após esse escândalo, o Paquistão tornou crime os abusos sexuais de menores e a pornografia infantil. Agora, essas ações são punidas com condenações de até sete anos de prisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos