Turquia pede que Rússia e Irã cumpram acordos e freiem ofensiva da Síria

Istambul, 10 jan (EFE).- O ministro de Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, pediu nesta quarta-feira à Rússia e ao Irã que cumpram seu trabalho de fiadores do cessar-fogo na Síria e freiem a ofensiva do regime no norte do país.

"Rússia e Irã devem deter o regime sírio. Deveriam cumprir seus deveres como países fiadores", declarou Çavusoglu em entrevista à agência de notícias "Anadolu".

O ministro acusou ontem as forças do presidente sírio, Bashar al Assad, de atacar a oposição moderada na província síria de Idlib, área na qual teoricamente está em vigor um acordo entre Rússia, Irã e Turquia para assegurar um cessar-fogo.

A pasta de Exteriores da Turquia convocou ontem os embaixadores da Rússia e do Irã para expressar seu desacordo com a ofensiva do regime no norte do país. O emissário iraniano compareceu hoje ao Ministério turco.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou que as forças governamentais sírias recuperaram o controle de 14 localidades no sul e no leste da província de Idlib, após intensificar os bombardeios nessa área, onde morreram vários civis.

"Qual foi o objetivo de iniciar as conversas de Astana se vão bombardear civis?", questionou Çavusoglu.

"Se há uma organização terrorista em uma região, sua situação deve ser determinada através do trabalho de campo e das fontes de inteligência, e se podem fazer operações cuidadosas contra eles em consequência", ressaltou o ministro, após frisar que as forças do regime atacam forças opositoras com o pretexto de combater a organização Al Nusra, ex-filial da Al Qaeda na Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos