Cinco mulheres acusam James Franco de comportamento sexual indevido

Los Angeles (EUA), 11 jan (EFE).- Cinco mulheres acusaram nesta quinta-feira nas páginas do jornal "Los Angeles Times" o ator James Franco de exploração sexual e comportamento sexual indevido.

Quatro dessas mulheres foram estudantes de Franco, incluída Sarah Tither-Kaplan, que afirma ter sido contratada pelo artista para uma filme que não estreou, "The Long Home", onde interpretava uma prostituta.

Franco pediu a Sarah, da mesma forma que para outras mulheres, que aparecesse em uma "cena extra" onde era realizada uma orgia e na qual Franco simulava praticar sexo oral nas mulheres.

No entanto, segundo o relato de Sarah, Franco tirou as proteções de plástico que cobriam as vaginas das mulheres antes de simular o sexo oral.

Outra atriz que participou dessa rodagem confirmou o relato de Sarah, segundo o jornal.

"Coloquei na minha cabeça rapidamente que não iria dizer não a este cara", reconheceu Sarah ao jornal.

Outras duas mulheres, Hilary Dusome e Natalie Chmiel, falaram sobre o comportamento de Franco no teatro Playhouse West, onde exercia a função de professor de interpretação antes de empreender a seu próprio negócio com o Studio 4.

Ambas lembraram uma rodagem "hostil" em um clube noturno na qual Franco supostamente solicitou que ficassem nuas. Nenhuma aceitou e o artista foi embora enfurecido.

Além disso, Katie Ryan, que teve aulas com Franco no Studio 4, disse que o artista "sempre fazia as alunas acreditarem que havia papéis em jogo" se fizessem atos sexuais com ele ou se tirassem a roupa.

Além disso, Violet Paley denunciou que Franco a pressionou para que praticasse sexo oral em seu carro.

"Estava falando com ele e, de repente, o seu pênis estava para fora da calça. Fiquei muito nervosa e disse: Podemos fazer isto depois? Ele empurrava minha cabeça para baixo e eu não queria que me odiasse", relatou Paley.

Franco foi agraciado com o Globo de Ouro de melhor ator de comédia por "Artista do Desastre".

Durante a cerimônia, várias atrizes dispararam nas redes sociais contra a hipocrisia de Franco por "lutar" contra o assédio sexual às mulheres em Hollywood.

O jornal "The New York Times" cancelou na terça-feira um encontro público que tinha previsto com Franco.

Nessa mesma noite, o ator apontou no programa noturno "The Late Show" que as acusações contra ele "não eram precisas".

O advogado de Franco negou todas as acusações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos