Topo

Opositor diz em protesto que posse de Hernández em Honduras deve ser impedida

12/01/2018 22h30

Tegucigalpa, 12 jan (EFE).- O candidato da Aliança de Oposição nas últimas eleições presidenciais de Honduras, Salvador Nasralla, disse nesta sexta-feira em um protesto, que terminou em confronto entre manifestantes e a polícia na capital do país, que é preciso impedir que o presidente Juan Orlando Hernández, declarado vencedor do pleito, assuma o cargo para seu segundo mandato no dia 27.

"Vamos impedir que Hernández tome posse no dia 27 de janeiro, assim como devemos evitar a instalação do Congresso Nacional", afirmou Nasralla no protesto contra a fraude que, segundo ele, ocorreu nas eleições presidenciais de 26 de novembro.

A manifestação, que terminaria com um discurso do candidato opositor, terminou em confronto com as forças de segurança. Após uma hora de confusão, o ex-presidente hondurenho Manuel Zelaya, coordenador-geral da Aliança de Oposição, avançou em direção aos policiais com as mãos para o alto, mas logo correu por causa das bombas de gás lacrimogêneo jogadas pelos agentes.

O protesto deixou vários feridos, entre manifestantes, policiais e soldados. Muitos que participavam do protesto também foram presos. Ainda não há informação exata sobre números de vítimas e detidos.

"Caiu algo na minha cabeça", disse um dos manifestantes, que sangrava por causa de um pequeno ferimento na testa.

O protesto começou pacificamente, mas, ao chegar perto da Casa Presidencial, policiais e militares impediram a passagem dos manifestantes, dando início ao confronto que durou mais de uma hora.

Nasralla teria deixado o protesto quando começou a confusão, diferentemente de Zelaya, que seguiu até tentar furar o bloqueio de segurança, mas recuou auxiliado por outros manifestantes.

"Estamos retornando para onde nos tiraram a balas em 2009. Há uma força repressiva que está sustentando ilegalmente um ditador", disse Zelaya pouco antes de deixar a manifestação, citando o golpe de Estado que o derrubou do poder há quase nove anos.

"Vamos repetir os protestos todos os dias até que Juan Orlando pegue um helicóptero e deixe o poder", afirmou Nasralla.

Os manifestantes jogaram pedras contra a fachada de um dos principais hotéis da capital hondurenha, a poucos metros da Casa Presidencial, e quebraram os vidros do prédio. Outros imóveis da região também foram danificados na confusão.

Nasralla diz que venceu as eleições de novembro e não reconhece o resultado oficial divulgado pelo Tribunal Supremo Eleitoral.