Topo

Rússia destrói armazém dos drones que atacaram suas bases na Síria

12/01/2018 13h48

Moscou, 12 jan (EFE).- As forças armadas da Rússia localizaram e destruíram o armazém no qual eram guardados os 13 drones que atacaram há uma semana suas duas bases militares na Síria, informou nesta sexta-feira o Ministério de Defesa russo.

O armazém dos drones, localizado na província síria de Idlib, "foi destruído com um míssil inteligente de artilharia Krasnopol", afirmou um comunicado divulgado pela Defesa russa.

Na madrugada da sexta-feira passada 13 aviões não tripulados tentaram lançar ataques com bombas caseiras contra a base aérea russa de Khmeimim e o porto de Tartus, ambos na província síria de Latakia.

Sete desses drones foram destruídos pelos sistemas de defesa antiaérea, enquanto o comando de outros seis foi intervindo pelos militares russos, que conseguiram aterrissar a três deles e colidir os demais contra o solo em uma área segura longe das bases.

Após analisar os aparatos em seu poder, o Estado-Maior russo afirmou que os drones estavam dotados de sistemas de tecnologia de ponta e foram repassados aos terroristas por um terceiro país.

O presidente russo, Vladimir Putin, insinuou ontem que essa potência seriam os Estados Unidos, em um encontro com os diretores dos principais meios de comunicação escrita e de agências de informação do país.

"Não há dúvida que esses ataques foram bem preparados. Sabemos onde e quando foram transferidos esses drones, camuflados como aparelhos de fabricação doméstica. Estou de acordo com os especialistas do Estado-Maior em que os elementos tecnológicos (achados nos aviões) não podem ser fabricados de forma caseira", disse Putin.

Por sua vez, o ex-chefe do Estado-Maior da Rússia, Viktor Bondarev, acusou há três dias os EUA de terem proporcionado esses drones aos terroristas.