Sobe para 42 o número de mortes causadas pelo ciclone "Ava" em Madagascar

Antananarivo, 12 jan (EFE).- Pelo menos 42 pessoas morreram em Madagascar durante a passagem do ciclone "Ava", que deixou também 26 desaparecidos e quase 19 mil pessoas deslocadas, informam nesta sexta-feira os meios de comunicações locais.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Escritório Nacional de Gestão de Riscos e Desastres (BNGRC, sigla em francês), 29 instalações de saúde também foram danificadas ou destruídas.

O "Ava" já não está mais no país, mas as autoridades mantêm o alerta para algumas localidades perto da capital, Antananarivo, por onde passam rios que podem transbordar.

As inundações e deslizamentos de terra pelas fortes chuvas e ventos seguem representando um possível perigo para a população local, e o número total de afetados pelo "Ava" até o momento é perto de 150 mil pessoas.

No seu curso, o ciclone provocou graves danos materiais e pessoais em todo o país, incluido na capital, onde muitos bairros seguem inundados.

A segunda cidade mais importante, Toamasina, também foi gravemente afetada pelo impacto do "Ava", razão pela qual o presidente malgaxe, Hery Rajaonarimampianina, se deslocou até ali, onde anunciou que o Executivo assumirá os custos de todos os funerais.

Em março do ano passado, o impacto da "Enawo", a tormenta mais forte em uma década, matou dezenas de pessoas e deixou milhares de deslocados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos